Um outro dia li uma matéria que falava sobre o abandono da escola e os motivos que levam a esse abandono. Tinha lá os motivos mais frequentes e que concordo plenamente com eles, mas resolvi dar aqui minha opinião do que eu passei durante os meus anos de escola e comparar algumas coisas com os dias de hoje.

Quando eu entrei na primeira série, com sete anos, já sabia ler e escrever e a grande maioria dos outros alunos que entraram comigo também já sabiam e todos adoravam a professora Gilmara, ela era uma professora dedicada e atenciosa e todos aprendiam o que ela ensinava. Passou-se segunda, terceira e quarta série, tivemos mudança de professores em todas elas e só me lembro de uma que realmente tinha paciência para ensinar a sala e isso foi na quarta série, na segunda e na terceira série saíram alguns alunos e entraram novos que vieram já sem saber ler de outras escolas e levaram isso até a quarta série, esses que não sabiam ler tiveram que ter reforço de português e ai ficaram sem as outras aulas, ou seja até aquele ponto eles não tinham aprendido nada pois não sabiam ler e com 10 anos é que eles iam ter a oportunidade de aprender a ler para tentar recuperar os 3 anos anteriores que não sabiam, acredito que para essas crianças aqueles 3 anos que passaram na escola foi praticamente inútil, já que não tinham a habilidade necessária para prosseguir com seu aprendizado. Até então não tínhamos aulas de inglês, informática nem educação física.

Cheguei a quinta série e aqueles que continuaram na mesma escola e sala que antes não sabiam ler tinham muitas dificuldades, parte da sala estava pronto para ir adiante com os estudos, mas outros não tinham a mínima condição para isso, eles tinham muito mais dificuldade e agora tínhamos o dobro das matérias que tínhamos antes, passamos de 4 para 8 matérias, descobrimos então o significado do professor substituto (ou professor eventual) que era quando algum dos professores faltava ele ia e ficava no lugar dele e simplesmente não passava nada de produtivo para sala ou então nem passava nada literalmente, aprendemos a “desprezar” os professores eventuais, afinal de contas eles ficavam ali apenas para que  todos ficassem dentro da sala.

Sexta, sétima e oitava série eu ainda consegui aprender bastante coisas nesse período, mas os professores faltavam muito e alguns professores tinham que ficar em duas salas ao mesmo tempo. Uma única sala tem aproximadamente entre 40 e 50 alunos, já cheguei a estudar em uma sala com 60 alunos, um professor não conseguia dar conta de ensinar uma única sala imagine duas salas ao mesmo tempo.

Primeiro, segundo e terceiro anos, antes haviam professores que faltavam, agora tinha os professores que faltavam e os professores de licença, ficávamos mais de 2 meses sem aulas de X matéria, a defasagem ficava a cada dia maior, muitas e muitas vezes a gente tinha 2 ou 3 aulas e já éramos dispensados, não aprendi quase nada e isso por que era os 3 ultimos anos que deveriam deixar os alunos preparados para entrar na faculdade.

Em todos os anos tinham aqueles que estavam lá tentando aprender e outros que não faziam nem questão de aprender, estavam lá só por que eram obrigados, a escola em que eu estudava no começo ela tinha uma ótima reputação, quando sai de lá ela virou a escola onde os expulsos das outras escolas tinham onde ficar atormentando quem queria estudar.

Tinha os instrumentos de musica que foram roubados, várias vezes tentaram montar sala de computação, todas as vezes os computadores eram roubados, tinham livros que de vez em quando inventavam de abrir a biblioteca, mas todas as vezes fechava por que não tinha ninguém pra cuidar. Os professores mal iam para a escola, os diretores que passavam não se importavam em melhorar a escola, muitos deles viviam viajando e acredito que todos os alunos que se importavam em aprender se sentiam abandonados.

A educação deveria vir em primeiro lugar em qualquer país, sem isso como irão se formar bons profissionais para serem os nossos futuros médicos, arquitetos, advogados entre tantos outros, sem a educação como é que as pessoas vão conseguir se qualificar dentro do mercado de trabalho para conseguir garantir um emprego digno com um bom salário e fazer com que a taxa de pobreza continue sempre diminuindo, mas que diminua com qualidade. Os professores tem que ser mais valorizados e incentivados para que possa ensinar seus alunos com prazer e paciência.

Queremos mais escolas? Sim, queremos mais escolas. Mas também queremos mais qualidade nas escolas que já existem e qualidade nas que estão por vir. Depois disso é que teremos um país menos injusto, onde pessoas não mais passaram fome e necessidades, não mais ficaram morrendo horas e horas na fila de um pronto socorro.

Anúncios

»

  1. Dasty-Sama disse:

    A-D-O-R-E-I seu texto! Falou tudo sobre a situação da educação no nosso país que cada vez piora ): Realmente, a educação devia ser o maior investimento do nosso país e não acontece isso .-.

    • Taisho-Chan disse:

      .-. e infelizmente está longe de acontecer por que as pessoas ficam se iludindo com outros tipos de promessas, como casas, empregos, ruas e etc, e se esquecem que pra realmente melhorar o topo a base tem que estar muito bem fortalecida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s