Primeiras impressões:

Assim que comecei a ler esse livro me senti lendo mais um livro de uma adolescente rebelde e sem motivo algum, o que logo mostra ser a mais pura verdade, porem como primeiras impressões nunca devem ser levadas a risca continuei lendo e percebi o verdadeiro motivo por trás do tema tão clichê.

Tudo começa quando Ronnie e seu irmão Jonnah vão passar toda a féria de verão na casa de seu pai que já não o viam desde a separação dele e de sua mãe, o que havia acontecido há três anos. Até ai seria uma viajem normal se não fosse pelo fato de que Ronnie guarda um terrível e profundo rancor de seu pai desde que seu pai foi embora. Para ela seu pai havia traído sua família e mais do que isso, ele tinha traído a grande confiança que ela tinha por ele.

Enquanto o pequeno Jonnah estava ansioso para rever seu pai, sua irmã, por outro lado, desprezava aquele momento mais que tudo.

A meu ver, Ronnie se mostra um tanto quanto imatura em relação à separação de seus pais e apesar de não saber de toda história, dos por quês e dos pingos nos is, age sempre como uma garota rebelde, sem obedecer e sem se importar em saber qual o real motivo da separação dos pais.

Ronnie sempre acaba dando um jeito de pirraçar seus pais, seja chegando muito tarde em casa, fazendo coisas erradas ou mesmo se envolvendo com pessoas de má índole pelo prazer de chateá-los. Logo no primeiro dia em que chega a casa de seu pai passa a noite quase toda fora de casa e nisso acaba conhecendo Blaze e Marcus. Blaze passa a ser uma grande amiga para Ronnie, mas quando surge Marcus, o “namorado” de Blaze, as coisas acabam indo de mal a pior, pois Marcus acaba ficando interessado em ficar com Ronnie e como a garota não quer nada com ele, Marcus acaba armando para que Blaze fique com raiva de Ronnie fazendo sua vida virar de ponta cabeça. No meio de toda essa confusão ela também acaba conhecendo Will, e apesar de não ir muito com a cara dele no começo acaba por descobrir que ele é muito diferente do que ela imaginava e se apaixona por ele, o que acaba irritando ainda mais Marcus que tinha uma rixa antiga com Will.

Mas Ronnie ainda tinha muito que aprender, principalmente sobre perdoar e sobre julgar, nesse meio tempo que foi obrigada a conviver com seu pai redescobriu o grande homem que foi durante toda sua vida, e a névoa densa de ódio que sentia foi se dissipando pouco a pouco, percebeu o quanto perdeu nesses anos nos quais ignorava totalmente seu pai, mas o pior de tudo foi descobrir que todo esse tempo não poderia ser recompensado.

O começo de A última música foi bem desanimado a meu ver, mas seu final é bem emocionante e chego até a dizer que compensa um pouco o começo parado. Um final lindo não por mostrar o amor de Ronnie e Will, mas sim por mostrar o amor de um pai e uma filha, por mostrar o perdão e por ensinar que não podemos julgar aquilo que não cabe a nós.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s