Logo no começo, nos deparamos com muita gente e muita tecnologia, mensagens de textos sendo enviadas constantemente, nada muito diferente do que vemos hoje em dia. No entanto percebemos que as mensagens de texto, mostram que alguém está marcando algum tipo de encontro. Então somos direcionados para um garoto que está indo a algum lugar diferente do que ele frequenta, pois fala ao telefone que tem um mapa.

 

 

“A multidão de pessoas se parecia com pixels em uma imagem.“

 

Ele começa a comparar as pessoas com pixels, que se juntam e se juntam para formar uma imagem, mas que ele nunca viu a imagem completa.

 

Após, vemos as pessoas que trocavam as mensagens no celular e percebemos que se tratava de um encontro relacionado com prostituição.

Vamos e voltamos nessa cena, enquanto o garoto descreve um pouco de sua própria existência como um único pixel.

Um garoto estranho aparece tirando fotos com o celular do senhor e da garota que estavam no quarto, logo se percebe que era um conhecido dela e que estavam ali em busca de alguma coisa.

Narumi, o garoto dos pixels, percebe que não é naquele lugar que deveria estar, mas de repente uma garota pula da janela do segundo andar, a mesma garota que estava, supostamente, se prostituindo, enquanto seu cliente foge da cena deixando um cinzeiro ensangüentado para trás. Nesse momento caras estranhos aparecem, um deles chega a apontar uma arma para Narumi, que não entende nada do que estava acontecendo. Os três caras estranhos levam o garota que pulou da janela e o que parecia ser namorado dela, que havia levado o cinzeiro na cabeça, para algum lugar.

Narumi começa a falar de sua vida de colegial, de como foi rápido e de como não lembrava nem do nome de seus colegas, e então Ayaka aparece e acaba derrubando ele sem querer de cima do telhado da escola, do lugar onde fica a caixa de água. Ayaka logo reconhece Narumi, mas como sempre ele acaba por não saber quem ela é. A garota fica indignada por ele, nem ao menos, lembrar que foi ela que mostrou algumas das coisas na escola pra ele e com isso partem para um conversa onde Ayaka acaba fazendo com que ele entre para o clube de jardinagem, o qual só a tinha de membro.

Depois de alguns dia Ayaka resolve pagar um jantar para Narumi, é então que ele conhece a loja de rámen onde se localiza a “base” de um grupo chamado NEET, e quem fazia parte desse grupo eram os garotos estranhos que apareceram no começo da estória e uma garota chamada Alice, que é a grande mente por trás dos outros membros, enquanto os outro garotos saem em busca de pistas, isso quando é necessário, ela fica enclausurada em seu quarto, dificilmente saindo de lá.

 

Depois de conhecê-los Narumi acaba trabalhando na loja de rámen e ajudando os NEETs em seus casos.

Quando vi o lugar onde Alice fica, de cara, me lembrei de Lain, a mistura de fofura, prepotência e infantilidade lembram bem de leve a Victorique de Gosick, mas não me senti tão encantada pela Alice como eu me senti pela Victorique, apesar dos bichinhos de pelúcia e fofurisses da Alice. Narumi, por muitas vezes, sempre parece mais como uma babá para Alice do que um assistente. Os casos também são casos independentes, não há muita relação com a história das personagens, apenas um caso ou outro tem relação, mas não acaba sendo tão envolvente, ou surpreendente, diria que são bastante simples. Um dos casos mais interessante, para mim, foi o do Sou que é líder de um grupo/ costureiro dos ursinhos de pelúcia da Alice, nesse caso tem bastante envolvimento do Narumi, que acaba ficando amigo do, suposto, inimigo do Sou. Fora esse o último da Ayaka também foi muito bom, chegou a me chocar um pouquinho.

Em um todo, para quem gosta do gênero, é um anime bom para passar um tempo, mas não é bom o suficiente para prender quem assiste e fazer com que a gente possa ter vontade de assistir mais episódios após o seu término.

 

Uma observação interessante é que o primeiro episódio é bem longo, chegando quase aos 50 minutos.

 

 

 

Anúncios

»

  1. Dasty-Sama disse:

    Nunca ouvi falar sobre esse anime, mas parece interessante, apesar de ter uma história meio confusa. Vou procurar saber mais sobre ele!

    • Taisho-Chan disse:

      Eu estava pensando sobre ele depois que eu já tinha feito a resenha, e cheguei a conclusão de que, talvez, eu não tenha gostado tanto por que como o anime é curto, as coisas acontecem rápido demais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s